Arquivos Mensais: Maio 2011

Imagens e aparências

Andam alarmadas algumas excelentes almas pela entrada em cena de peças do aparelho gástrico da República que julgávamos afastadas ou em desuso. Mais se indignam porque vêm estragar a imagem (belíssima e fresca) de um candidato. Há aqui duas espécies … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Samaritanismos

Tive ontem que explicar detalhadamente a vida que levo num dos aeroportos de S. Paulo. Esperando por um autocarro de ligação da TAP entre aeroportos e porque não há maneira de controlar a mania de ser bom samaritano, empurrei o … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , | 1 Comentário

Civilização e Barbárie

Sobre a civilização e a barbárie, e as definições de cada um dos termos, a sua relação recíproca, interdependência ou oposição, poder-se-ia escrever tratados infindos, constatando factos e construindo especulações. Vivemos porém a urgência do tempo. Talvez a consciência do tempo … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 1 Comentário

Escrivães, e onde pendurá-los pela salvação do inferno

De cada vez que vejo referências ao que escreve este caso , «a crise teria existido qualquer que fosse o governo, e que nenhum faria melhor. Ao contrário do que supõe o PSD, os portugueses não estão muito interessados em saber como … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , | Publicar um comentário

O movimento «ataca»

O movimento, «ataca», segundo o Público esse covil de tesouros que são os centros de emprego. Já Camilo atacava outras coisas: “O jornalista austero será sempre um ente malsinado e odioso para todos os governos. Hão de expulsa-lo sempre do … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , | Publicar um comentário

Gadanhas

Sábado, para lá da pequena área ajardinada da jurisdição da consorte, estendia-se o capinal que vem tomando conta do quintalório. Vai-se a gente a uma gadanha, instrumento a que no Paraná chamam alfange, com o risco de nos virem de … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 2 Comentários

Mastigação de doutorando a que só as Berlengas escaparam por lá não haver que pilhar, nem nos Farilhões a implementar

Num dos romances de Ruben Fonseca, o ali ao lado de cápa’zul O Caso Morel, Joana (personagem quecujonome amodos’que não era afinal Joana, e que aparece morta numa praia do Rio) escreve ao amásio – segundo este relata depois da sua morte … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário