Do inacreditável

Dinamizado por Doutoranda em Gestão e Empreendedorismo

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , . ligação permanente.

5 respostas a Do inacreditável

  1. E quem não está doido, vai enlouquecer no meio de tanta loucura – ou pelo menos vai começar a sentir-se louco, pois no meio de tanto louco, quem não está louco é que acaba por não se sentir nada saudável.

  2. São tudo palavras e gestos ” de sete e quinhentos” que o bebé vai absorver para a vida. 🙂 🙂

    Boa semana

  3. cc diz:

    Esta coisa de quererem ensinar os pais a ser pais irrita-me bastante…porque se pretende ensaiar coisas que são naturais e têm que vir de dentro…não é só o dinheiro que é pedido mas o princípio que está subjacente.
    ~CC~

  4. nina luz diz:

    O que há mesmo é que começar a manufacturar elitesinhas e operariadosinhos desde o berço. Porque é de pequenino que se torce o pepino, não é? Pelo caminho, é claro, façam-se lucros chorudos de uns e dos outros. É que estamos na era do empreendedorismo capitalista, não é mesmo? Qualquer doutoranda em gestão e empreendedorismo pode montar um negócio a mexer com a cabeça dos filhos dos outros, e isso será coisa boa. (é que deixar escapar a infância como área de actividade económica seria impensável e imperdoável!)

    E esta coisa assim tão ‘trendy’ e ‘práfrentex’ das actividades lúdicas de aprendizagem desde o berço, ou lá o que lhe chamam, já mete nojo. Há quem pense mesmo que temos que começar a fazer a cabeça das crianças desde logo. Prepará-las para ‘serem vencedores’ no ‘mundo competitivo de amanhã’. Dá-me pena, por vezes, ver estas crianças super-preparadas, super-competitivas, super-alfas, que são tudo menos crianças e enormes falhanços em tudo o resto. Depois olho o meu neto, e sorrio feliz. Mas é claro, eu sou velha e dinossaura, e acho que crianças devem ser deixadas crescer crianças, e não transformadas antes do tempo em mini-adultos-autómatos.

    Quando foi mesmo que nos começaram a servir ficção científica por realidade? Ou será que deveria dizer, antes, fatias de absurdo por sobremesa? Mas vale tudo, parece, nos tempos que correm, até furar olhos…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s