Quando faz falta um lexicógrafo

Dava jeito ter um lexicógrafo inglês à mão em certas ocasiões. Ao ler isto dirigido ao Oliveirinha, por exemplo:

É um pouco mais complicado é que fales do que não sabes ó Oliveira. Sabes o Diário Económico é um jornal que se debruça essencialmente sobre temas como M&A; corporate finance; private equity; venture capital; fundos de investimento; banca (core tier I; net interest income; loan-to-value); por rácios de transformação; dividend yiels; pay-out ratio; sobre titularização; sobre mercados; short-selling; sobre EBITDAs, sobre fluxos económicos; e só úma pequena parte trata de política, só uma pequena parte. Assim tipo Financial Time, if you know what I mean…

Não sei se o Oliveira sabe o qué’qu’ela mean sobre o debruçamento essencial do Económico, eu tenho dificuldade. Precisava de um Johnson. Quanto mais não fosse para me rir. A lembrar-se a gente  da forma como definiu  o termo stockbroker – a low wretch who gets money by buying and selling shares -, daria gosto vê-lo traduzir aquilo.

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , . ligação permanente.

6 respostas a Quando faz falta um lexicógrafo

  1. Curioso… Pensei exactamente o mesmo quando lia o post citado… E julgo que não bastava um lexicógrafo inglês… Assim tipo um português também dava jeito, si tu sais ce que je veux dire…

  2. Esta Maria é um caso de estudo — daqueles bicudos.

  3. soliplass diz:

    A direita anda abespinhada. A precisar de férias. Isto de defender relvas e os pastéis dos álvaros e mais a senhora de fátima, a cristas a pedir chuva, a aritmética do gaspar, dá cabo da cachimónia ao mais resiliente.

    Agora veio isto dos homosexuais e o catano. Um dia destes foge-lhes (como menina casadoira de uma daquelas famílias miguelistas de província à garupa da égua de um galfarro ) o Ângelo Correia ou o José Manuel Fernandes com um dealer bielo-russo, vão os dois viver em grande dissolução de costumes na Côte d’Azur adoptando um menino indonésio, e há-de ser o diabo.

  4. Sorte a sua que não vive aqui. Isto já não é um país: é um manicómio a céu aberto.

  5. cristiana fernandes diz:

    penso que não se deveria comentar, sequer, a senhora. Dar-lhe palco ( ainda que seja para a criticar) só a faz feliz. “Nunca lutes com um porco na lama. Sujam-se os dois, mas o porco gosta.”( creio que é um provérbio chinês, a propósito).

  6. soliplass diz:

    Não deixa de ter razão, mas tá ali uma lista de debruçamentos do Económico de truz. Era coisa para coleccionador até.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s