Por pombalinhos e azinhagas

É um dos caminhos favoritos para uma voltita de moto a desenferrujar bielas e cambotas, transmissões. Fresco, com cheiro de terra e verde.

021

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , . ligação permanente.

10 respostas a Por pombalinhos e azinhagas

  1. Cristina diz:

    Oi Motoqueiro (aí é motociclista)!
    Bela alameda, com as árvores de troncos tão brancos… o milharal, quando florido, exala um perfume que é uma fascinação!
    Aqui não está fácil pilotar a moto. Amanhã cedo, enfrentarei temperatura em torno de sete graus (não somos habituados). Sorte que o trajeto de casa à escola é curto.

    Abraço de inverno.

  2. soliplass diz:

    É ali terra do escritor português José Saramago, o agraciado com.o Nobel. É de facto um caminho bonito em terras férteis, mas a foto já é de há um mês e meio.

    Bem se queixa amiga, mas isto aqui em Curitiba ainda vai pior. Está tempo de trenós e cães peludos… mais que de motocicletas…

    Um abraço.

  3. Tempo de poetas, fotógrafos e policiais?
    🙂

  4. soliplass diz:

    De mistura com aprender a preparar polenta. Chamado pela minha sogra um dias destes que a polenta queria “engrolar”, e em que necessitava de braço varonil, desabafou a pobre preocupada: ainda vai dizer que estas “gringas” até polenta te ensinaram a fazer…

    Quanto a policiais, refere-se ao Snømannen de Jo Nesbø? Estava em falta, está quase lido… tinha ouvido falar dele, e de facto é muito bom.

  5. Belos passeios! 🙂

  6. soliplass diz:

    É, aqueles sítios são arejados e vistosos. Saindo de casa e metendo por Alcanhões é fácil, é barato, e dá evitar de “caga-millhões”. Pena que a mimosa tenha rádio de cassetes antigo, e não leitor de CDs.

  7. MCS diz:

    Maravilha! Quando passo, de bicla, por caminhos assim, só eu e a natureza, são tamanhas as sensações que palavra alguma as conseguem descrever.

  8. Snømannen de Jo Nesbø? Soa bem, como soa bem a fala da sua sogra com aquela última foto, imaginando-a em nocturno, belo cenário. Eu sempre achei que os policiais têm um fundo poético pouco valorizado.

  9. soliplass diz:

    Eu nem sou muito de policiais, mas este é bom. Muito bem escrito. Fiquei fã do autor, terei que ler mais dele.

  10. Cristina diz:

    Não me admira o Saramago ter sido tão profícuo… vindo deste lugar inspirador!

    Quanto ao Paraná, prefiro manter uma distância inteligente nesta época do ano…não sou tão peluda assim.

    Até mais.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s