Os exórdios em quatro tiras e o muro de palavras

“A maior bar­reira à entrada no mundo da arte, e nos museus e gale­rias que a cele­bram, sem­pre foi, para mim, o muro de pala­vras que o envolve. Um muro eri­gido por crí­ti­cos, jor­na­lis­tas, cura­do­res, comis­sá­rios e às vezes pelos pró­prios artis­tas; um muro de pala­vras que não comu­nica.”

 Assim o confessa Pedro Bidarra em (bom e oportuno) post no Escrever é TristePost intitulado, de forma bem sugestiva, O muro de Palavras. Se escrever é triste ler pode ser divertido – ler o texto do curador que P. Bidarra cita para …”ilustrar o problema”, é uma risada:

“A pre­o­cu­pa­ção latente nesta expo­si­ção prende-se com a ambi­gui­dade e com os para­do­xos ine­ren­tes ao exer­cí­cio da hos­pi­ta­li­dade, com os pos­tu­la­dos que defi­nem e con­di­ci­o­nam os usos da arqui­te­tura. Os con­teú­dos e situ­a­ções gera­das pelos tra­ba­lhos ali pre­sen­tes des­ta­bi­li­zam as regras e os com­pro­mis­sos sub­ja­cen­tes à ocu­pa­ção e uso do espaço para levan­tar ques­tões acerca dos luga­res do dia-a-dia, da forma como nos rela­ci­o­na­mos com eles e como eles nos fazem rela­ci­o­nar com o outro. Na inti­mi­dade que esta­be­le­cem entre lugar e ocu­pante cada um dos tra­ba­lhos exerce for­mas de hos­pi­ta­li­dade. Seja para evi­den­ciar os con­fli­tos ine­ren­tes ao seu exer­cí­cio ou para lem­brar a urgên­cia da sua apli­ca­ção, para ins­ti­gar encon­tros ines­pe­ra­dos ou para pro­mo­ver opo­si­ções, ou con­ver­gên­cias, ou com­ba­tes, ou con­sen­sos.”

«Ó qu’maravilha!» deve ter pensado o Pigmaleão que cinzelou prolegómeno-Galateia deste calibre. Bem vale o curador sozinho aquele congresso de homens de delicado gôsto que pugnaram (debalde) pelos quatro exórdios (bonitos) escritos em quatro tiras; os de Camilo logo no início do Carlota Ângela. E porque hoje é Domingo (desanuviemos irmãos em cristo), a quem passa de visita (ou a perder tempo) no Âncoras se deixa (do velho Camilo  e em papel de outras eras) o mordaz divertimento:

Camilo 001

Camilo 002

Camilo 003

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s