Arquivos Mensais: Setembro 2014

Cadernos

  E porque o blog também me serve de arquivo de guardar boa literatura… Gosto de ler no Delito estes “Cadernos de um enviado …“. Gostei especialmente do número de hoje, o 43: “O caso Tecnoforma visa destruir o principal … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , | 6 Comentários

Ler os outros

  Henrique Fialho no Antologia do Esquecimento: Feio feio mesmo feio. “Há, sem dúvida, uma “palermização” da sociedade que parece irreversível. O infantilismo que oportunisticamente penetra todas as esferas da vida pública, desde a política (com seus pedidos de desculpa) … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

O que temer?

Ao ler coisas destas (ou meter Léon Blum no saco actual) fica um gajo sem saber o que temer mais: a estupidez dos estúpidos ou a inteligência dos inteligentes.

Publicado em Uncategorized | Etiquetas | 2 Comentários

Curiosidades e recordes

Elogiada foi foto publicada abaixo de uma escada rústica no meio da floresta. Construída à mão; desde o machado que tomba a árvore ao pregar do prego. Não é coisa, ou trabalho, que impressionasse velhos serradores que destas terras nórdicas … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , , | 4 Comentários

Supra e infra da representatividade política, ou uma bela manhã em Randsfjord.

    Contava um professor de História – personagem do romance de Knut Lindh – Blomster og Blod (Flores e Sangue) – perante uma assembleia de alunos pasmados, da única ocasião (do seu conhecimento) em que um rei tinha sido … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Do investidor no BES

  Lia-se há dias no blog do sr. Pitta curiosa citação sobre a “caldeirada de nabos” em que se encontram os investimentos em produtos da galáxia empresarial do BES. Não que, ao sr. Pitta, grande surpresa fosse devida. Afinal, da … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , | Publicar um comentário

Norwegian Woods

  Estava longe de imaginar quando lhe entrei pela livraria dentro já lá vão duas décadas que o book worm (este vosso criado) que lhe comprava livros aos braçados vira a ser companhia predilecta na cabana, num alto pedregoso coberto de … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 4 Comentários