Arquivos Mensais: Maio 2016

métodos menos intrusivos

  Os nossos Bernardos quando no poder eram pelo corte nas gorduras do Estado. Como método de ir às gorduras (o corte, coisa de magarefes) peca por brutalidade. Agora na oposição deixam o corte puro e duro, são pela lipoaspiração. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , ,

Lucia Berlin

De férias, depósito do carro atestado pela manhã, e aferrolho-me em casa. A favas, café solúvel e cigarros. Na companhia de Lucia Berlin. Que coisa espantosa esta colectânea de contos.  

Publicado em Uncategorized | Etiquetas ,

Outros engenheiros: Werner Fahrenholtz

  Há personagens que, ainda que a seu respeito ouçamos uma referência vaga, não esquecemos mais. Venho a reencontrar uma no último capítulo do livro da imagem: história dos vagabundos e andarilhos nas estradas norueguesas, de Thor Gotaas; Werner Fahrenholtz; num … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , ,

La cité des dames – um eficiente pacificador de irritações

Subia ontem à floresta a dar mais uma demão de protector de madeira no drikketrau (ou bebedouro) que por lá construí. Para evitar a deslocação do amigo, e o conduzir até aqui abaixo ao centro de Oslo, tomei eléctrico e autocarro … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , ,

O Meças, o grande guerreiro, uma história grande, outra pequena e… a história do costume

      Confesso que a crítica de António Guerreiro no Publico ao romance O Meças, de J. Rentes de Carvalho me irritou para lá da conta. Aquilo, parece-me, nada diz do romance em si, mais me parece simples má-educação, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , ,

Burro velho não toma ensino

Arrumo e limpo o pequeno apartamento aqui em Oslo. E faço a mala para mais um regresso à pátria. Da estante agarro os braçados de livros ao acaso. Avalio o peso. E é sempre a mesma história… Enquanto os meus … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , ,

Bandos académicos

  Atento ao tráfego, distraído do que se passava fora da estrada, mal vi a fiada de vultos negros que se sentavam no muro do restaurante. Semanas académicas, coisa corriqueira. Mas a pobre sentada ao meu lado, pouco habituada a … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas ,