Pois é camaradas

acusar o bom Rentes de Carvalho de estar prestes a instaurar o fascismo no reino dos Países Baixos a partir de uma intenção de voto tornada pública é fácil. Difícil mesmo vai ser solucionar os problemas institucionais que se começam a vislumbrar.

Vai ser bonito (lá ou em qualquer outra democracia parlamentar) com deputados que representam a Nação versus deputados que não se sabe que nação representam.

.

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

4 respostas a Pois é camaradas

  1. O que não tira valor nem carga simbólica à sua (dele) declaração de voto num nazi, não é verdade? Toda aquela “independência” que o homem apregoa, e o desprezo pelos partidos (devia gostar de partido único) sempre me cheirou a canga salazarenta. Isto para nem falar do negrume com que menciona o 25 de Abril. Reconheços que é moraleirismo a mais para quem quer expulsar marroquinos.

  2. Joel diz:

    Essa de dizer que acusaram o Rentes de Carvalho de estar prestes a instaurar o fascismo no reino dos Países Baixos soa a falácia straw man. Não li ninguém que o dissesse ou que o insinuasse, mas, se estou errado, cite por favor. Li foi pessoas que mostraram a sua indignação com a declaração de voto do escritor, talvez porque lhe atribuíam uma estatura intelectual e cívica que essa declaração de voto contradiz. Seja como for, fazer do Rentes de Carvalho uma vítima, como parece ser o caso do seu texto, parece-me um exagero e uma ironia involuntária.

  3. soliplass diz:

    Claro que o ” estar prestes a instaurar o fascismo no reino dos Países Baixos a partir de uma intenção de voto tornada pública” é uma ironia.

    Caro Luís, eu gosto muito daquele gajo. Li-lhe a obra toda publicada, corri dezenas de sebos brasileiros à procura dos livros anteriormente editados em Portugal que não se encontravam já, li este último romance O Meças sete ou oito ou nove vezes, nem sei já. Sei que o quase decorei. De modo que quando um autor do Corta- Fitas abre um post com a frase “Não conheço o suficiente de Rentes de Carvalho (li um livro de que não me lembro o nome mas de que me lembro de ter gostado bastante)” consigo reconhecer imediatamente que livro foi. Quase que apostaria que vc também…
    Diria que aquilo (o bom Rentes) é sujeito dos mais benevolentes e de maior espírito igualitário que conheci. Estar eu a dizer bem dele não o favorece em nada, é claro. Antes o contrário. Sou apenas um pobretanas que trabalha no fundo de um navio…
    Gosto um pouco mais de si, mas vc é mais novo e mais giro e (gabou-se às leitoras lá do blog, se bem lembrado estou) tem six-pack. Está o homem a fazer uma má escolha? Talvez. Mas é a vida, também eu já vou no terceiro casamento…

    Claro que me entristece que a direita e mailos tontinhos do observador o estejam a aplaudir por as declarações dele lhes estarem a cair bem na agenda. Mas não é pelo aplauso de agora. É porque no dia em que o que algo que ele venha a dizer ele não lhes cair bem na agenda serão os primeiros a pregar-lhe uma parelha de coices.

  4. manuel.m diz:

    Vejo que o Soliplass, ( já vou no terceiro casamento…), é um incorrigível optimista. Daí manter a admiração no seu alter-ego Rentes. Mas temos de admitir que ele foi um pouco longe demais dando publicidade ao voto no Geert Wilders. Ele que vivendo lá tinha mais que obrigação de saber o que esse individuo defende. É como uma raspadinha : Estava mesmo à superficie.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s