Àh,… seus farsolas

IMG_20180207_135704.jpg

Este velho vosso Soliplass… aqui, em foto impressa que me deu amigo há migalho,  de madeiro às costas em bela floresta nórdica. Que se não fosse tão “mal-vestido de cara” até podia rivalizar com aqueles rapazões estonteantes que posta a Gaffe e as Avenidas.

Que, que por vezes se surpreende com as coisas da Cultura luso-falada-e escrita. Por exemplo, um dia destes, ao escrever sobre a homenagem fúnebre ao pai, e porque é um pouco apressado e multitasking, em vez de pesquisar na página do bolg “manhã de ceifa”, pesquisou no google. Coisa maravilhosa. Só ele, de entre os milhões de falantes do idioma de Camões, louvando as alegrias de uma manhã de ceifa ao lado d’um pai velho, para proteger e cuidar de uma plantação de choupos.

Mais o espanta quando, omnipresente e omnisciente é carinho luso para com a paisagem, a biodiversidade, a natureza, e o património natural. E claro, as gentes do interior.

Um dia desses escrevo-vos aqui um post sobre as alegrias de carregar madeiros às costas. Querem assim pró erudito, bem bibliografado, indo lá atrás ao Homero e Virgílio, ao Lucrécio e ao Boécio, à Kalevala finlandesa, ou pode ser coisa de memória de suor e alombar, contada com o falar do nosso bom povo, solipsista, à Soliplass?

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , . ligação permanente.

8 respostas a Àh,… seus farsolas

  1. Gaffe diz:

    Modesto?!
    Não o excluo da colecção que faço de rapagões poderosos, embora, valha a verdade, daqui o veja mal.
    Nunca me subestime.

  2. soliplass diz:

    Dava-me jeito ali uma rapaziada saudável como a que vc descobre lá pró seu Gaffe. Também porque ali tem um velho forno de ferro tocado a lenha onde faço uns assados e às vezes eram necessários mais uns tipos com apetite para dar volta àquilo.
    E, pasme-se, ainda sobrevive ali um tacho de barro que veio do seu Porto nos anos trinta. No qual a família costumava fazer caldeirada de bacalhau. O bacalhau do Paiva, assim se chamava o homem que ensinou a receita à velha senhora
    norueguesa.

  3. Gaffe diz:

    Estou convidada?
    Um forno velho de ferro e bacalhau à Paiva, no crio da Noruega, soa a saudade.

  4. Gaffe diz:

    *frio

    Embora o frio crie saudade.
    🙂

  5. soliplass diz:

    Seria uma indelicadeza convidar senhora pra um sítio de vida tão simples e primitiva;
    duche no bebedouro: driketrau:https://ancorasenefelibatas.files.wordpress.com/2016/04/drikketrau-014.jpg?w=925&h=668
    aguardente braba em copo rudimentar:https://ancorasenefelibatas.files.wordpress.com/2017/03/img_20170323_104905.jpg?w=640
    salvar-se-ia talvez e quando muito, um arroz de pato no tal forno:https://ancorasenefelibatas.files.wordpress.com/2014/09/003.jpg?w=640&h=480

    Vida rude, mais de ascetas que de estetas, enfim, …

  6. Gaffe diz:

    Porque será que os homens subestimam o que receiam?
    😉

  7. soliplass diz:

    Há ainda outro factor omitido, coisa de não subestimar o que receio: se a minha mulher sonhasse que ando a convidar donzelas para tão remoto sítio era um arraial de pancada que suplantaria nos compêndios de História os massacres dos Visigodos.O cepo que trago às costas ali na foto não seria nada comparado com tal “carga de lenha”.
    Que isto do pacifismo das senhoras (como Holofernes tarde se apercebeu) é um mito dos grandes.

  8. Mari diz:

    Ainda mais quando lhes correm sangue italiano as veias 😘

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s