Aquivos por Autor: soliplass

Sobre soliplass

email: friluftogvind@gmail.com

Lorca, dormir, tempos contados e por contar

Fui ontem ao google por uma frase de Queipo de Llano, radiodifundida em 36: «Nuestros valientes Legionarios y Regulares han demostrado a los rojos cobardes lo que significa ser hombres de verdad. Y, a la vez, a sus mujeres. Esto … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , | Publicar um comentário

Esbarbear – x’barbiar – desbarbar telha

Raramente sonho. Que me lembre. E quando me lembro de ter sonhado, do que me lembro normalmente é de uma espécie de pesadelo. O meu sonho típico é não conseguir perceber o porquê de uma avaria ou estar a tentar … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 2 Comentários

Arqueologia da bloga: Almocreve das petas

Não que faltem almocreves de petas, ou carapetões, em linguagem desusada (abundam por painéis televisivos e jornalismo económico), mas sinto falta do da blogosfera. Era uma maravilha ler aquilo. Como aqui, referindo outro e citando Alberto Pimentel, in Vida de Lisboa, 1900: … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Do catolicismo em terras nórdicas

  Segundo o Dabladet o bispado católico de Oslo acaba de ser condenado a uma multa de 2 milhões de coroas por ter lesado o Estado norueguês em vigarice da grossa. Já tinha sido condenado a uma multa de metade mas … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , | Publicar um comentário

Pafiosi republic

Mais folheado que lido completamente, passei há uns meses por este divertido “romance distópico gay” de Fabio Canino: Rainbow Republic. Podem ver aqui a apresentação do livro pelo autor na universidade de NY. O autor, tomando como boas as conclusões de … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

A obrigação de ser fantástico

Sexta da semana passada, sala de embarque do aeroporto de Oslo, vôo para Lisboa, vozes atrás de mim, língua portuguesa. Conversar sem ouvir o outro. Ping-pong, a ver quem sabe mais do assunto. Quase uma obrigação, ser o maior e … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

dos direitos e dos tortos

Rapaz rústico, trabalhador braçal, espadaúdo e musculado de (entre outras) tanto rachar cavacas, aprendi há muito que a sociedade portuguesa não gosta de misturas. Cada macaco em seu galho, se possível fardado de acordo com a altura do galho social. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 1 Comentário