Arquivo da Categoria: Uncategorized

Ler os outros

  Daniel Abrunheiro  (promete para a semana  uma crónica ainda piorzinha que esta) : É de um gajo ficar plasmado: « […] É a rebaldaria total: assuntos mesquinhos, soezes ângulos de abordagem e perspectiva, investigação nula, partidarização subjectiva total, apresentação sabuja. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Troféus, livros, deuses

Não é bem que seja ateu. Gosto da ideia de Deus “desfardada”, nem que seja no olhar de um cão. Será um dos troféus da minha biblioteca. Uma das frases estimadas, oferecida pelo punho gentil de uma das minhas escritoras … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Fátima, polémicas, impostos, alívio

  Em restaurante provinciano e em hora tardia, entram peregrinos de  rumo a Fátima, com, coisa que recai que nem jinjas sobre algumas tias de cabelo oxidado, farpela de exploradores montanhosos. Involuntáriamente (não consegui controlar a coisa) desato a rir … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , | Publicar um comentário

O comboio especial

  Nas últimas férias como que vinha (como lobo a roer ferro) a adivinhá-la. Chegado à gare do Oriente, estremunhado ainda do vôo que me trouxe de Amsterdão, havia comboio parado (o Especial para Braga) com primeira paragem em Santarém. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Ler (ainda e sempre) os outros

AS VIRTUDES, Henrique Fialho no Antologia do Esquecimento (excerto):   […] Continuamos a patinar num tecido social acrítico e empobrecido pela sua própria incúria. Os militares não podiam dar-nos pessoas interessadas, exigentes, desde logo consigo próprias, moralmente aceitáveis. Da pequena … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 2 Comentários

Ler os outros

    Em A Gaffe e as avenidas: A Gaffe num futuro composto:    “A comunicação social vai procedendo à substituição do alegadamente pelo uso do futuro composto, abolindo o presente, o passado, ou mesmo o imperfeito, dos tempos verbais … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Tove ao sol, coisas luminosas

  Os dias, nesta rectangular máquina de perder tempo à beira mar plantada, dissipam-se em “dar com os burrinhos na água”, “bater com o nariz na porta”. Ontem, manhã de fazer cem quilómetros para nada (faltava uma caderneta predial actualizada), … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 2 Comentários