Arquivo da Categoria: Uncategorized

the hot green was just hanging on by its teeth

  “It was a hotel near the top of a hill, just enough tilt in that hill to help you run down to the liquor store, and coming back with the bottle, just enough climb to make the effort worthwhile. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 1 Comentário

Câmara escura do país democrata

Se bem que alguns estejam tentados a comparar o Goucha a palhaço rico num circo de província, são-lhe ainda devidas duas justiças: a) guarda-roupa de melhor qualidade e exuberância . b) permitir a revelação do país indignado e democrata. Dir-se-ia … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Mytting & Petterson

O outono norueguês trouxe uma mão cheia de boas surpresas entre os quais estes dois belíssimos exemplares. «Os sinos irmãos» (traduzido à letra «irmãs» dado o feminino de sino) de Lars Mytting e «Homens na minha situação» de Per Petterson. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Sociabilidade e má-consciência

Familiar directa convida-me para ir passar a noite de Natal com a família, que não a passe sozinho. Entre Cila e Cararíbdis, recuso, tento explicar. Cada vez mais me custa conviver e ouvir gente que é, ou que considero, pouco … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , | 12 Comentários

Inicio e fim de ano

Acabei o ano (fim da tarde de ontem) a podar oliveiras. E começei, hoje cedo, a lavar roupa e loiça, fazer um check-in na Tap para o vôo de amanhã, aspirar e lavar o chão da casa (aproveitando as janelas … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 2 Comentários

Elogios de divulgação, ou dois coelhos de uma cajadada

A foto ficou por aqui esquecida. Um dia qualquer de Outubro do ano passado, chuvoso. Numa caixa de madeira de em alfarrabista em Oslo, este Las Venas. Batido, sujo, com manchas de bolor. A livreira não quis dinheiro por ele, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 3 Comentários

Susan Sontag sobre Joseph Brodsky, merda na Rússia, cosmopolitanismo e a quem agradar no que se escreve

[…] “He was elegant enough always to claim that he had not really suffered during that year and a half of internal exile; that he rather like farmwork, specially shoveling manure, wich he regarded a one of the more honest … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário