Arquivo de etiquetas: Contos

Empalhadores

Encontrado num pardieiro poeirento dessa América do Sul, comprado por cinco reais, vir-se-ia a revelar um dos melhores livros de contos (ou micro-contos) que alguma vez li: Jabalíes Domésticos y Cerdos Salvages. De César Fernando Díaz. Traz na dedicatória esta frase monumental … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , ,

Los inmigrantes

Ao não volante de um chivrolé pela estrada de Sintra, antes pelos cafundó do brejo passado S. Jorge d´Oeste, ali a província do Chaco perto, atravessando a fronteira. E Makallé. A do conto. Faz memorosa parte da geografia literária deste … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Noite de Chuva

E porque somos nestes tempos uma espécie de “negra velha Joaquina Maria”, deixo um conto do velho Rubem Braga: (a quem a preferir em outro suporte que não o “papel”, está também on-line -ilustrada por b’líssima foto – no Arcobata das … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Monteiro Lobato: O Mata-Pau

O Mata-pau “Píncaros arriba e pirambeiras abaixo, a serra do Palmital escurece de mataria virgem, sombria e úmida, tramada de taquaruçus, afestoada de taquaris, com grandes árvores velhas de cujos galhos pendem cipós e escorrem barbas-depau e musgos.. Quem sobe … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 10 Comentários

Solano Rojas, el pasero ciego

Não foi o caso de hoje, dia de frio intenso, mas se o tempo vai ameno encontro-o por norma ali em cima na XV nas margens de um rio de gente. Abriga-se do sol debaixo um chapéu de praia, o … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , , , | Publicar um comentário

Ainda Benedetti: los bomberos

Porque alguém gostou de um conto de Benedetti postado abaixo, e porque esta semana houve gente que se degladiou sobre os números da recessão, vale a pena talvez deixar outro do mesmo livro. O personagem Olegario mostra algumas similitudes com os … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Benedetti: La noche de los feos.

    Na última passagem pela Portela a apanhar o avião, como de costume nada que agradasse na livraria.  Quase que só bestas céleres; mas como de besta já me chega a companhia da sombra… Felizmente, nos escaparates dos estrangeiros, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | Publicar um comentário