Arquivo de etiquetas: Luis. M. Jorge

Tove ao sol, coisas luminosas

  Os dias, nesta rectangular máquina de perder tempo à beira mar plantada, dissipam-se em “dar com os burrinhos na água”, “bater com o nariz na porta”. Ontem, manhã de fazer cem quilómetros para nada (faltava uma caderneta predial actualizada), … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , | 2 Comentários

A «escola Luís Jorge» no jornalismo escandinavo

E não é que o post do Vida Breve Deita, senta, busca by Luis M. Jorge, cujo título poderia a primeira impressão parecer excessivo, irresponsável e sem sentido de Estado, afinal está em linha com o melhor jornalismo escandinavo? indo … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 16 Comentários

Refresco, limpeza

( Foto: http://www.aftenposten.no/viten/Professoren-brukte-tre-ar-pa-a-ta-dette-bildet-7370649.html ) Imagem de Audun Rikardsen, professor de biologia marinha da Universidade de Tromsø, publicada ontem na edição on-line do jornal Aftenposten que exibe – também na mesma página – mais algumas dignas de visita. Do outro lado do mundo bate … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 7 Comentários

Sol e duche

Será um dos meus pecados: Amsterdam aos pulos. Às horas de entre um voo e outro se vão resumindo as visitas. A última, 28 de Maio. Como a cada burro sua mania, não gosto de comprar on-line mas no livreiro. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 4 Comentários

Impossibilidades

Há uns tempos atrás uma colega francesa deu comigo, de lap-top aberto na sala comum do navio, escarcalhado em riso. Veio a perguntar o que era aquilo que me levava às lágrimas e às gargalhadas. Mal fui capaz de lhe … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 2 Comentários

Abrenúncio!

Qu’aquele gajo não é um blogger! Aquilo é um camartelo com corte de gadanha. Ou de bisturi.  

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , | 9 Comentários

O fogo e as multidões

Recordo uma crónica de João Pereira Coutinho no Folha de S. Paulo (Elias Canetti faz manifesto de ódio) onde este perorava sobre a obra de Elias Canetti e onde às tantas se lia:  “Elias Canetti (1905-1994), Prêmio Nobel de Literatura em 1981 (inexplicável), autor … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas , , , , | Publicar um comentário